Colecionando mais de 600 entrevistas, Luca Moreira fala sobre a trajetória como entrevistador aos 23 anos

Colecionando mais de 600 entrevistas, tendo publicado sobre diferentes personalidades de mais de 7 países e completamente apaixonado por conhecer novas histórias, Luca Moreira, de Niterói, Rio de Janeiro e com apenas 23 anos, atua há cerca de 4 anos na área da comunicação e carrega uma extensa bagagem de experiências e vivências como entrevistador.

A primeira entrevista aconteceu de forma espontânea e sem imaginar tudo o que viria pela frente. Sem antes Luca nem ter se idealizado na profissão, a atriz Malu Falangola foi a primeira experiência dele com entrevistas. Hoje, a trajetória do entrevistador é admirável.

Atores e atrizes globais e internacionais, ídolos da música, influenciadores, youtubers, atletas, alpinistas, pessoas anônimas, entre outras áreas e profissionais integram o time de entrevistados pelo jornalista nesses últimos anos em veículos de comunicação online, sendo alguns que já trabalhou e seu próprio site, que recebe o próprio nome do entrevistador: “Luca Moreira”.

“Olhar para trás e ver toda essa trajetória é algo indescritível. Conheço poucos jovens que aos 23 anos já fizeram tanto trabalho assim na vida. Até alguns profissionais eu arriscaria dizer que, com o meu tempo de trabalho já fizeram tudo isso, mas o meu maior objetivo é mostrar ao público que eles são capazes. Como estudantes ou como iniciantes. Quando comecei eu era um iniciante também e ainda estou estudando. Temos sempre que pensar fora da caixinha, fora dos parâmetros”, afirma Luca Moreira.

Cinema, teatro, música, atletas… Dentre todas as diversas profissões que já se tornaram pautas das entrevistas realizadas por Luca, afirma que é apaixonado por cada tema, mas que política nacional e bitcoin são os assuntos que mais trazem dificuldades na hora de uma produção. “Minhas dificuldades mais recentes vem sendo falar sobre bitcoin e política nacional. Sei interpretar bem as notícias que absorvo, porém, entrar nos pensamentos dos nossos entrevistados e achar argumentos que os desafiem sempre a se elaborarem na resposta é algo um pouco mais complicado do que muitas pessoas pensam”, completa Luca.

Para Luca, ouvir todas as diferentes histórias é como poder ter a dádiva de viver diferentes vidas em uma só. “É você poder ser parado no supermercado por um olheiro da TV e se tornar uma estrela nacional, descobrir através da leucemia um dom para o teatro, estar no pico do monte mais alto do mundo e ao mesmo tempo usar seus dons de culinária para encantar seus clientes do ramo financeiro”.

Uma incrível trajetória repleta de aprendizados e novos conhecimentos e experiências adquiridas. “Cada entrevista traz um ensinamento e eu como jornalista acabei me tornando um tipo de colecionador de histórias. Parece impressionante, mas com apenas 23 anos já ouvi e já me sinto com muitas histórias para contar. Escrevi minha primeira biografia aos 20 anos, coincidentemente demorei nove meses para terminar minha obra e foi o nascimento de uma conquista que vou guardar para minha vida inteira. Um filho que essa vida me deu”, finaliza Luca.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.