Dezembro tem Natal e também a necessidade de cautela

Conheça os crimes digitais mais recorrentes deste período

Quando dezembro chega, vem junto uma exigência de se comprar presentes para as confraternizações com amigos e parentes. Buscando a maior facilidade, que o meio digital permite cada vez mais – contudo – este ambiente é um facilitador também para criminosos.

As quadrilhas especializadas no on-line desenvolvem softwares avançados para convencer pessoas e assim adquirir informações pessoais, como CPF, senhas e números de cartões – isto quando não induzem a fazer pagamentos em PIX – e em pouco uma noite infeliz se torna um pesadelo.

“A regra geral é desconfiar sempre, mesmo que você receba uma mensagem de alguém conhecido, porém com um padrão diferente do de costume, talvez te pedindo para transferir dinheiro ou pagar um boleto, enfim, ligue para o destinatário, para se certificar se o contato é real. -É o que diz Claudio Bonel, CEO da Startup de análises e Business Intelligence (Dadoteca); Analista de dados e professor. 

O especialista também fala sobre os cuidados com o uso do PIX: “Criminosos estão burlando o QR Code (Aquele quadradinho cheio de figuras geométricas), de modo que ao realizar a leitura, o pagamento vai para a conta do criminoso, portanto antes de concluir o pagamento, confira os dados do destinatário.”

Claudio mostra alguns dos golpes virtuais mais recorrentes nesta época do ano, confira:

Sequestro de dados (Ramsonware)  

O hacker entra no sistema da empresa e codifica todos os dados. Para acessá-los novamente é necessária uma senha que está em posse do hacker que controla o ransomware. Neste caso, o “sequestrador” cobra um valor para liberar os arquivos do dispositivo afetado. O ransomware é conhecido como o vírus de resgate, sendo utilizado por hackers para o sequestro de dados.

O sequestro de dados paralisa as operações das empresas e é também um risco para os clientes que podem ter seus dados vazados. 

Sites e Apps falsos (Phishing)  

O phishing é uma falsa comunicação (e-mails, propagandas em redes sociais) que leva a sites legítimos com a finalidade de obter informações pessoais de usuários, como número de cartão de crédito, senhas, CPF e afins. O Brasil está entre os 15 países com maior número de vítimas de sites e apps falsos. 

Vazamento de dados

O vazamento de dados é um dos crimes cibernéticos que mais crescem no Brasil. Ao vazar informações confidenciais dos consumidores é possível utilizá-los para tentar acessar outras plataformas, em que os criminosos possam obter algo de valor, como dinheiro e mercadorias caras. A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) prevê sérias punições a empresas por mau uso ou o vazamento de informações pessoais de consumidores.

Paralisação de transações comerciais (Negação de serviço/DDos)  

O ataque do tipo DDOS (Denial Of Service, em inglês), é uma tentativa de realizar uma sobrecarga em um servidor para que recursos do sistema fiquem indisponíveis para seus utilizadores. Assim, os funcionários das lojas não conseguem mais acessar dados do servidor por ele estar indisponível e não conseguem responder a nenhum pedido de compra. 

Roubo de dados de cartão de crédito

O hacker entra no sistema das empresas por meio de um vírus instalado no computador após um download. Tendo acesso ao sistema, rouba dados de cartões de crédito que fazem compras em sistemas infectados. Pode ser uma loja de conveniência, postos de gasolina, lanchonetes e lojas em shopping centers etc. (tanto loja física quanto loja online).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.