Especialista faz alerta sobre golpes nas redes sociais

Os golpes em perfis nas redes sociais têm crescido cada vez mais nos últimos tempos. Os usuários estão agora tendo que ter o dobro do cuidado com a segurança de suas contas para evitar possíveis invasões e prejuízos. Segundo o Dr. José Estevam Macedo Lima, presidente da Comissão de Liberdade de Expressão da Anacrim-RJ, os criminosos usam a credibilidade das vítimas das contas hakeadas para cometer estelionato, pois muitas das vezes são pessoas públicas, empresários ou até mesmo artistas.

“Estão ficando mais frequentes os ataques de hackers nas contas de redes sociais. Os criminosos agem de forma rápida e utilizam os perfis para cometerem atos que configuram a prática de estelionato. Colocam à venda objetos e produtos através das contas hackeadas. Outro ponto importante é que também praticam, em tese, o crime de extorsão contra vítimas detentoras das contas das redes sociais as quais foram roubadas. Os criminosos utilizam da credibilidade das vítimas para cometerem os crimes de estelionato, pois muitas das vezes são pessoas públicas, empresários e até mesmo artistas”, explicou Dr. José Estevam, que relembrou um dos casos que defendeu:

“Recentemente ocorreu um ataque desse contra a mãe de um MC famoso. Todas as medidas foram imediatamente tomadas pela equipe do escritório, que registrou a ocorrência na delegacia de repressão a crimes de informática e providenciou as medidas cabíveis”.

No fim de novembro, o 2º Juizado Especial Cível de Brasília aprovou uma indenização para um usuário do Instagram que teve seu perfil hackeado e mais duas contas vinculadas que foram ativadas em seu nome. De acordo com o autor do processo, Fabiano dos Santos Sommerlate, a falta de segurança da plataforma e a demora em prestar um suporte ao consumidor para bloqueio dessas contas constituiu conduta desidiosa da empresa e menosprezo aos direitos do consumidor contidos na Lei nº 8.078/90.

A Justiça determinou que a Meta, dona do Facebook e Instagram, terá de pagar uma indenização de R$ 3 mil, por danos morais e remoção das contas falsas criadas e vinculadas ao nome de Fabiano, sob pena de multa diária de R$ 300.

Em nota, o Instagram avisou que vai recorrer à decisão e disse que entende a angústia de perder o acesso à conta, mas que nesses casos disponibiliza um passo a passo para recuperação do perfil, além de um canal de suporte para auxiliar os usuários na recuperação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.