O céu é o limite! O que antes era uma brincadeira virou um negócio sério, conheça a história de Cadu do Vambora Pipas, modelos do tamanho de 1 pessoa!

Quem nunca teve a infância marcada por brincadeiras simples mas que divertiam muito? Conheça um pouco do impressionante trabalho de Carlos Eduardo, conhecido como Cadu, ou Vambora Pipas, onde tudo começou com um sonho de criança, o jovem Cadu que cresceu em Bebedouro/Botafogo no interior de São Paulo, não tinha dinheiro para comprar pipas, mas encontrou através da natureza um jeito que transformasse os primeiros passos de sua paixão em realidade, seu tio que o ensinou a confeccionar pipas foi o precursor no assunto, ele ensinou a Cadu que na época tinha 8 anos de idade a construir pipas com galhos de bambus e papel de seda e assim ficou a diversão, começou a virar competição de pipas entre amigos o que só deu mais combustível para o que na época ainda era apenas um hobbie.

A paixão só foi crescendo e com a idade Cadu foi aperfeiçoando as pipas, literalmente nessa época Cadu deu a vida pela arte da criação, pois nas pipas que eram chapadas e com uma cor só, ele começou a fazer desenhos nas pipas, inspirando-se cada vez mais e não foi atoa, em 2000 ficou em primeiro lugar no campeonato de pipas na cidade de Botafogo, onde ele até hoje guarda com carinho o troféu pelo talento de ter sido a pipa mais bonita, mais rápida, a maior, e a que voa mais longe, uma conquista em tanto para um participante de primeira vez.

Com a idade, o tempo foi encurtando com o hobbie por causa das prioridades, Cadu veio para a cidade de São Paulo, uma cidade bem mais agitada do que o pacato interior onde nasceu e começou a trabalhar com compra e venda de veículos, mas ele não parou, começou outro hobbie, o aeromodelismo, porém ao contrário das pipas, era uma diversão cara, em média 3000 reais um único aeromodelo, Cadu como gostava de adrenalina acabou perdendo um dos modelos por pilotar avidamente. Era uma diversão bem cara, com a perca, despertou uma outra ideia, a de enxergar aeromodelos como pipas grandes e aperfeiçoa-las e assim foi, ele fez tantas amizades que chegou até a ter um grupo no bairro do Tucuruvi, zona norte da capital intitulado “Amigos da Maldi” (Maldi é o nome de uma das ruas do bairro) onde todos tinham o interesse em comum, Cadu então reinventou a pipa num tamanho enorme, soltou nos céus de São Paulo com os amigos, e foi um sucesso, todos que a viam no céu desejavam, a prova disso é um fato que a pipa grande era pesada a linha estourou no meio da revoada fazendo com que um grupo de populares (em média 60 pessoas conta Cadu) tentassem resgata-la!

Depois desse experimento, novamente Cadu parou um pouco com o hobbie mas em 2020 como houve a pandemia, Cadu parou um pouco de trabalhar no ramo de veículos o que abriu brecha para voltar a fazer pipas, mas desta vez pensando como um negócio, começou aos poucos experimentando algumas coisas e ajustando outras, fez até um personagem próprio da marca, a Freirinha Vambora (desenho da freirinha de rosto verde da foto), começou a fazer desenhos simples e depois evoluindo para desenhos bem realísticos com rostos de pessoas, cada arte é única e bem artesanal, os modelos com rosto de pessoas por exemplo podem levar as vezes até 3 dias para se fazer, como foi o caso de uma das pipas que chegou até a ser usada em um clipe musical da Love Funk e Audio Records:

A maior motivação de Cadu é sua namorada palestrante a Tathiane Deândhela, ele agradece muito por ter a oportunidade de conhecê-la, tanto que Tathiane viu nisso tudo um leque para assuntos de palestras pois fez parte da infância de quase todas as pessoas, e foi das palestras que Cadu conheceu Guto, uma peça chave, o qual este lhe deu a oportunidade para apresentar seu projeto na página do Instagram do Prêmio Jovem Brasileiro e a partir disso, o vídeo de Cadu com as pipas que foi publicado viralizou e foi só sucesso, todos perguntavam de quem era as pipas gigantes. Cadu já levantou suas pipas nos céus da França, Estados Unidos, Colômbia, México, Itália – atingindo o mundo com papel, cola e projetos com audácia, isso além de Cadu ter realizado o sonho de voar de parapente no Rio de Janeiro e ao mesmo tempo soltando uma de suas marcas registradas, uma pipa gigante ao lado do Cristo Redentor!

Está matéria só foi um pouquinho da história do Vambora Pipas, Cadu quer lançar um livro aprofundando mais a história e agradece a todos pela força e pelo seu negócio hoje que está de vento em popa e de tornar toda essa paixão em realidade, e para quem quiser siga a página no Insta @tathi_deandhela e @vambora_pipas onde mais para frente vai ter novidade nesse mundo de negócios!

Confira também o vídeo Premio Jovem Brasileiro:

https://www.instagram.com/tv/CNvuOffD4m9/?utm_source=ig_web_button_share_sheet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *